Economia

Preços em Moçambique voltam a subir

Abril voltou a ser um mês mais pesado no bolso de quem vive em Moçambique. 

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados pela Lusa, o mês passado registou uma subida de preços de 2,23%.

De acordo com os dados do Índice de Preços no Consumidor (IPC), a subida de preços que se registou neste mês foi influenciada principalmente pela alimentação e bebidas alcoólicas que, no total, registaram um aumento de 3,82%.

Este cenário ganha especial importância porque a inflação neste país africano não para de subir desde o final de 2015 por causa dos mais variados motivos, nomeadamente, a descida da cotação das matérias-primas, a quebra nas exportações e a forte desvalorização do dólar.

Corrupção preocupa

A braços com problemas financeiros causados também pela queda dos preços do petróleo, Moçambique sofre com o facto de a corrupção alastrar no país.

Moçambique foi, aliás, analisado num relatório do Departamento de Estado dos Estados Unidos que, em 2015, fez saber que extorsão policial era uma prática generalizada neste país. O relatório sobre os Direitos Humanos no Mundo em 2014, publicado em Washington, esclarecia que, em Moçambique, a impunidade continuava a ser um problema, apesar de o governo ter dado alguns passos no sentido de processar e condenar funcionários que cometessem infrações.

Já em 2013 um estudo da Transparência Internacional chamava a atenção para o facto de Moçambique ser um caso problemático no que toca à corrupção, nomeadamente por causa do volume de subornos.

E os relatórios com este tipo de resultados multiplicam-se. Já em 2001 um inquérito financiado pela US Agency for International Development (USAID) denunciava que um quarto dos moçambicanos paga suborno para arranjar emprego.