3º Torneio Circuito FPG

Joana Silveira supera pressão e reforça a liderança

Joana Silveira pode ter apenas 16 anos, só começou a jogar golfe a sério aos 11 anos, mas já denota uma maturidade competitiva pouco habitual para a sua idade.

Rui Frazão / FPG

O 3º Torneio do Circuito FPG, que se disputou Sábado e Domingo, no Praia D'El Rey Golf & Beach Resort, em Óbidos, era um desafio de monta para a jogadora do Club de Golf de Miramar, na medida em que surgia, pela primeira vez, como a grande favorita num torneio do calendário da Federação Portuguesa de Golfe.

Porquê? Pela simples razão de que a nº1 amadora nacional de 2015, Leonor Bessa, estava a regressar à competição, após um hiato de 4 meses, devido a lesão e, sobretudo, porque Joana Silveira tinha-se sagrado campeã nacional amadora poucas semanas antes.

Tendo atingido um dos grandes objetivos da sua carreira amadora, seria natural um período de celebração, de descompressão e de nervosismo por ser o primeiro torneio em que teria de justificar o estatuto de nova campeã nacional.

Para mais, Leonor Bessa puxou dos galões e de toda a sua experiência para, apesar da falta de rodagem e das dores, liderar no final do primeiro dia de prova, com 72 pancadas, uma boa primeira volta de 1 abaixo do Par, deixando Joana Silveira a 3 pancadas de distância.

Recorde-se que Leonor Bessa visitou Joana Silveira no Oporto Golf Club, na última volta do Campeonato Nacional Absoluto Peugeot, acompanhou-a nos últimos buracos e incentivou-a a dar a volta ao resultado quando parecia que Beatriz Themudo iria ganhar o torneio. Mais tarde, em declarações aos media, Joana Silveira agradeceu o apoio de Leonor Bessa, considerando-a um exemplo a seguir.

É neste contexto que deve analisar-se o feito de Joana Silveira na segunda volta do 3º Torneio do Circuito FPG. Estava a jogar no mesmo grupo da sua companheira de clube, da jogadora que admira, mas, naquele dia, transformada em rival.

E enquanto Leonor Bessa claudicou perante as fortes dores de uma infeção num dedo, somando 81 pancadas no segundo dia, Joana Silveira aguentou-se e fez a melhor volta feminina entre as 12 participantes, em 76 (+3), para vencer com uma agregado de 151 (+5), batendo Joana Mota (do Clube de Golfe de Vilamoura) e Leonor Bessa por 2 pancadas.

Para Joana Silveira, foi o seu segundo título em torneios do Circuito FPG, depois do sucesso na etapa do então Circuito Liberty Seguros que passou pelo Troia Golf, em 2014.

Com dois títulos neste circuito, mais outros dois em Majors nacionais – Taça FPG/BPI 2014 e Campeonato Nacional Absoluto Peugeot 2016 – Joana Silveira é já uma das grandes figuras do golfe nacional amador. E promete não ficar por aqui.

«Apesar de ter ganho o Nacional Absoluto, não senti muita pressão para este torneio. O meu objetivo era jogar o meu jogo, tentar afastar ao máximo qualquer tipo de pressão e concentrar-me o máximo no meu jogo. Comecei sempre calma e a primeira volta correu sempre bem, porque nos dois dias cheguei a estar abaixo do Par até ao buraco 14. No primeiro dia fiz triplo no 14 (estava -2) e no segundo dia fiz bogey (estava -1), mas em nenhum dos dias consegui acabar abaixo. Provavelmente era a ansiedade de ter de aguentar o resultado. Mesmo assim, estou satisfeita com os meus 2 dias», disse a jogadora de Miramar, que consolidou o seu posto de nº1 do Ranking Nacional BPI da FPG, do qual se apoderou depois da vitória no Oporto Golf Club. 

O campeonato feminino do 3º Torneio do Circuito FPG apresentou 12 jogadoras, com a curiosidade de todas (à exceção da lesionada Leonor Bessa) terem estado presentes no Campeonato Nacional Absoluto Peugeot. Portanto, no que diz respeito ao setor feminino, Praia d’El Rey ofereceu uma segunda versão (melhorada) do nacional amador português.

*Federação Portuguesa de Golfe