Vida

Morreu Bretagne, a cadela que salvou centenas de pessoas no 11 de setembro

Bretagne, o último cão vivo daqueles que participaram nas operações de busca e salvamento do atentado de 11 de setembro de 2001, morreu na segunda-feira, aos 16 anos.

A Golden Retriever tinha terminado recentemente a formação em buscas quando se deu o atentado em Nova Iorque, EUA. Bretagne integrou assim uma equipa de 300 cães que vasculharam os escombros do World Trade Center durante vários dias – trabalhou 12 horas seguidas durante dez dias e ajudou a salvar centenas de pessoas.

Bretagne também participou em operações de salvamento após os furacões Katrina, Ivan e Rita. Até aos nove anos, altura em que se ‘reformou’ trabalhou sempre como voluntária no corpo de Bombeiros de Houston, no Texas.

A cadela foi eutanasiada esta segunda-feira, no hospital veterinário de Houston. Foi recebida por membros do corpo de bombeiros, que a acompanharam até ao fim.