Desporto

Rússia-Eslováquia: a continuar assim a Rússia Weiss

A Eslováquia venceu a Rússia (2-1) esta tarde naquele que foi o segundo jogo do grupo B. O golo do Europeu (até agora) foi marcado por Hamsik

Rússia e Eslováquia defrontavam-se esta quarta-feira com ideias diferentes. Os russos, que empataram nos minutos finais diante da Inglaterra (1-1) - e que estão em risco de expulsão  pela UEFA caso ocorram mais desacatos por parte dos seus adeptos nesta partida - vinham com uma atitude cínica a Lille, já que os eslovacos,  que tiveram uma derrota inaugural diante do País de Gales (2-1), viam-se obrigados a  pontuar. Conseguiram vingar o primeiro jogo com uma vitória por 2-1 - e marcar um dos golos do Euro até agora, pelos pés da estrela da companhia,Hamsik.

Esta partida decidiu-se na primeira parte. Tão simples quanto isto. E porquê? Porque as duas seleções dividiram maior parte do tempo de jogo sem nunca se superiorizarem uma a outra - o equilíbrio é histórico entre os dois países, a última vez que se defrontaram foi na qualificação para o Euro'12 com vitórias para quem jogou fora -, excepto quando a bola entrou.

E aí a Eslováquia foi rainha. Parece redutor sim, mas basta olhar para os dois golos da primeira parte - um dado inédito no Euro deste ano -, para que leitor concorde. O primeiro veio de Vladimír Weiss, um jogador que bem que poderia estar em qualquer liga europeia mas anda pelo Qatar e tomou o gosto ao pé aos 32', deixando para trás dois defesas russos e o guarda-redes Akinfeev. Uma meia hora fria, onde se viu mais a arte de bem defender do que propriamente a arte de bem atacar, só aquecida pelo golo inaugural. Marek Hamsik, o melhor jogador desta equipa eslovaca, já tinha avisado aos 9' de que queria deixar uma marca neste jogo. E tanta vontade tinha que, através de um canto marcado de forma rápida, decidiu fazer o melhor golo desta competição até ao momento aos 45'. Que g-o-l-a-ç-o. 2-0 e a Rússia parecia estar KO, um gesto de boxe que os seus adeptos têm praticado nas ruas em França.

O equilíbrio da primeira parte (58% de posse de bola para a Rússia, 42% para a Eslováquia) e o bom resultado - em europeus nunca uma equipa ganhou um jogo a perder por 2-0 - dava aos eslovacos, mais um dos estreantes em europeus, a esperança de que esta quarta-feira era dia de festejar.  E foi mesmo: sempre que a Rússia tentou marcar, com ou menos jeito, esbarrou na defesa eslovaca. Até que aos 80' Shatov, o homem que deu outro brilho ao ataque russo (só podia já que aprendeu a jogar futebol através do fustal e de videos de Zidane), cruzou para a cabeça de Glushakov que desviou para golo – e que seis minutos depois esteve perto de bisar.

A Eslováquia só se viu apertada nos dez minutos finais, no entanto aguentou e conseguiu a sua primeira vitória de sempre num Euro somando os primeiros três pontos ao lado do País de Gales. A Rússia, habituada a sofrer golos há sete jogos consecutivos em europeus, leva o quarto jogo seguido sem vencer nesta prova, e está com um pé fora de França já que tem apenas um ponto. O homem do jogo? Vladimír Weiss, jogador com um apelido adequado à situação russa, dentro e fora de campo.

Esta tarde a Roménia e a Suíça medem forças, mais a noite é a vez da França defrontar a Albânia.