Internacional

Boris Johnson não vai concorrer à liderança do partido

O anúncio surpresa de Boris Johnson, no final do seu discurso, foi feito esta quinta-feira.

AP  

“O meu papel será dar todo o apoio possível à próxima liderança do Partido Conservador, para assegurar que cumprimos adequadamente o mandato que as pessoas nos deram no referendo”, disse Boris Johnson.

O anúncio de Johnson surge depois de o ministro britânico da Justiça, Michael Gove, ter anunciado a sua candidatura. Gove anunciou que se candidatou ao lugar de David Cameron, uma vez que Johnson “não pode fornecer a liderança” necessária para os desafios que se aproximam devido à saída do Reino Unido da União Europeia.

A ideia inicial de Gove seria apoiar Boris Johnson. “Em particular queria ajudar a construir uma equipa para apoiar Boris Johnson para que um político que tenha defendido a saída da União Europeia pudesse levar-nos a um futuro melhor”, disse. Mas mudou de ideias.

“Tenho dito várias vezes que não queria ser primeiro-ministro. E sempre foi essa a minha posição. Mas os acontecimentos da última quinta-feira [referendo que ditou a saída do país] pesaram muito na minha consciência”, disse Gove durante a sua candidatura.

A ministra britânica do Interior, Theresa May também avançou com a sua candidatura. “Não deve haver quaisquer tentativas de permanecer na União Europeia ou de sair e voltar a entrar pelas traseiras: Brexit significa Brexit”, garantiu May.