Economia

Volkswagen rejeita indemnizações na Europa

VW fechou acordo nos EUA.

Matthias Mueller, CEO da Volkswagen (VW), fechou um acordo de 15 mil milhões de dólares nos EUA, na sequência do escândalo das emissões poluentes. Mas o mesmo não vai acontecer na Europa. De acordo com o responsável este seria um cenário financeiramente incomportável.

Citado pela Welt am Sonntag, explica que são situações diferentes e que a regulação norte-americana para a emissão de gases é muito mais exigente. De forma perentória, deixa claro que “não é preciso ser um matemático para perceber que atribuir compensações desta magnitude e de uma forma arbitrária seria devastador para a VW”.

A posição da VW surge depois de a Organização Europeia do Consumidor ter reclamado esta semana à Volkswagen a atribuição de compensações aos proprietários europeus de veículos afetados pela fraude nas emissões.

De acordo com a organização, o fabricante de automóveis não tinha respondido a todos os pedidos que foram feitos no sentido de indemnizar também os proprietários europeus. Uma falta de resposta que levou a Organização Europeia do Consumidor a admitir que teriam de ser tomadas outras medidas contra a empresa.

Itália, Espanha e Bélgica apresentaram queixas coletivas contra a empresa. Depois disso, a engrossar a lista de processos criminais contra a Volkswagen, juntou-se também a associação austríaca VKI, que também pretende obter indemnizações para todos os condutores afetados.

Recorde-se que tudo começou no ano passado, quando a Volkswagen foi acusada de alterar o chip do sistema de emissão de gases poluentes. Ao serem confrontados com as vendas muito abaixo do previsto, engenheiros da empresa terão decidido enganar os reguladores e os clientes com motores fraudulentos. Foram instalados softwares para manipular dados de emissões poluentes em alguns motores a partir de 2008.