Politica

Deputados da comissão de inquérito à CGD têm 120 dias para concluir os trabalhos

Social-democrata José Matos Correia vai presidir aos trabalhos

Os 17 deputados da comissão parlamentar de inquérito à recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e à gestão do banco são empossados hoje na Assembleia da República. Têm 120 dias para concluir os trabalhos.

Imediatamente a seguir à posse, marcada para a tarde de hoje, os deputados vão eleger a mesa da comissão.

Na presidência vai estar o social--democrata José Matos Correia. O regimento determina que compete ao partido que apresentou o requerimento potestativo (com caráter obrigatório) a indicação do presidente. Além de Matos Correia, o PSD apontou ainda os deputados Hugo Soares (como coordenador do partido nos trabalhos da comissão), Carlos Costa Neves, Adão e Silva, Margarida Mano, Emídio Guerreiro e Margarida Balseiro Lopes.

O PS indicou os deputados Paulo Trigo Pereira, para a vice-presidência da comissão, João Paulo Correia (coordenador), João Galamba, Carlos Pereira, Sónia Fertuzinhos, Susana Amador e Santinho Pacheco.

O Bloco de Esquerda (BE) avançou com o deputado Moisés Ferreira (coordenador) para integrar como efetivo a comissão.

Já o CDS-PP vai estar representado por João Almeida (coordenador).

Pelo PCP, o coordenador será o deputado Miguel Tiago.

A comissão tem por objeto, designadamente, avaliar “os factos que fundamentam a necessidade de recapitalização da CGD, incluindo as efetivas necessidades de capital e de injeção de fundos públicos e as medidas de reestruturação do banco”, assim como apurar “as práticas de gestão da Caixa no domínio da concessão e gestão de crédito desde o ano de 2000 pelo banco em Portugal e respetivas sucursais no estrangeiro”.