Internacional

Uber obrigada a sair da Hungria

Governo aprovou novas leis que ordena o bloqueio de aplicações que não sigam o modelo de negócio tradicional. Multas variam entre 160 a 640 euros

AP  

Depois de dois anos de guerras judiciais, a Uber vai abandonar a Hungria. O governo húngaro aprovou ontem uma lei que ordena o bloqueio de aplicações que não sigam o modelo de negócio tradicional.

A nova legislação vai entrar em vigor já no dia 24 de julho e às empresas de telecomunicações não resta outra alternativa que não seja bloquear o site e a aplicação para o telemóvel. Quem não cumprir está sujeito a uma multa entre 160 a 640 euros.

Tal como tem acontecido em outros países europeias, os taxistas húngaros têm vindo a manifestar-se contra o funcionamento desta aplicação, alegando que os motoristas da Uber não cumprem as mesmas regulações a que estão sujeitos os motoristas de táxis. Só este ano foram organizados 12 protestos.

Ainda assim, a plataforma de serviço de transporte de passageiros garante que “a Hungria é uma exceção e não a regra”. Um mercado, onde a Uber conta com 1200 motoristas e 150 mil clientes.