Politica

Geringonça apoia novo Orçamento

O governo está pronto para não cumprir os 2,5% de défice impostos esta semana por Bruxelas. O objetivo de Costa é a saída do procedimento por défice excessivo, que se consegue com 3%. É um passo decisivo para obter a aprovação do Bloco de Esquerda e do PCP.

Para o Governo, a recomendação de Bruxelas de que o défice tem que ficar em 2,5% não vai ser uma espada de Dâmocles. A necessidade de cumprir os acordos à esquerda deverá levar a exceder aquele limite, desde que o objetivo de saída do Procedimento por Défice Excessivo se mantenha, apurou o Sol junto de fontes do Governo. Ou seja, o Governo vai fazer contas para que défice esteja abaixo dos 3%, mas não contem com Costa para uma «obsessão com o défice de 2,5%». Foi este o número que veio na recomendação de Bruxelas anexa à decisão sobre a não imposição de sanções. 

Mas se nenhum dos partidos que apoiam o Governo PS está neste momento disposto a implodir a gerigonça – uma crise política está adiada para depois das autárquicas, provavelmente lá para Outubro de 2018 – há um limite para os sapos que a esquerda pode engolir. As sugestões da Comissão Europeia para um aumento do IVA, que alarmaram nomeadamente os comunistas, foram prontamente desmentidas pelo ministro das Finanças, Mário Centeno. O IVA não aumenta nos produtos essenciais tal como está inscrito no acordo de esquerda, que é o documento que conta para o voto favorável ao Orçamento de Estado para 2017. 

Leia mais na edição impressa do SOL hoje nas bancas