Politica

CDS considera “inaceitável” que Rocha Andrade tenha aceitado convite da Galp

Nuno Magalhães considera que Rocha Andrade não tem condições para continuar no cargo de secretário de Estado dos Assuntos Fiscais

O CDS voltou a pedir a demissão do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, por ter aceitado uma viagem da Galp, empresa que está em litígio com a Autoridade Tributária e Aduaneira.

"Acho normal que as empresas possam fazer convites. Não acho normal é que quem as tutela e tem com elas um diferendo os aceite", afirmou Nuno Magalhães, durante uma conferência de imprensa esta quinta-feira.

O líder parlamentar do CDS, que considerou “inaceitável” que Rocha Andrade tenha aceitado o convite da petrolífera, disse ainda que o secretário de Estado não tem condições para continuar no cargo e que cabe a António Costa "tirar essa ilação" e "agir em conformidade".

Já ontem, Telmo Correia tinha pedido a demissão de Rocha Andrade. “É um procedimento reprovável e não é de maneira nenhuma aceitável. A situação é reprovável e grave”, afirmou o centrista, realçando ainda que existe um “conflito público” entre a Galp e o governo.