Politica

Corrupção, prejuízos e acidentes mortais. Conheça o novo patrão de Portas

A Pemex é uma das maiores petrolíferas mundiais, mas tem problemas graves. Acidentes em infraestruturas envelhecidas sucedem-se. Há mais de 100 mortos desde 2012.

 


Os cartéis de droga, a criminalidade e a corrupção tornam o México um país problemático para fazer negócios. E mesmo a maior empresa do país, a petrolífera estatal Pemex, que recrutou Paulo Portas para consultor, não está imune a dificuldades. O grupo lida diariamente com roubos de energia de gangues organizados e estas perdas afetam os já fracos resultados da empresa, que dá prejuízos vai para quatro anos consecutivos. Endividada e com infraestruturas envelhecidas, os acidentes em plataformas ou fábricas da empresa sucedem-se. Só desde 2012 contabilizam-se mais de 100 mortos, numa média de um acidente por ano.

O último foi no início de 2016. Uma explosão num complexo petroquímico da empresa fez 28 mortos no estado de Veracruz, no leste do país. A vaga de acidentes em plataformas ou fábricas do grupo deteriorou a imagem de uma das maiores petrolíferas mundiais.

Leia mais em ionline.sapo.pt

Os comentários estão desactivados.