Economia

DBRS põe pressão sobre orçamento do Estado

A única agência de rating que permite a Portugal aceder às operações de financiamento do Banco Central Europeu (BCE) deixou ontem uma nota de preocupação com a situação económica e financeira do país. A canadiana DBRS admitiu que o baixo crescimento e a dívida pública elevada são fontes de pressão sobre as contas públicas.

 

DR  

Em entrevista à agência Reuters, o responsável pela análise de ratings soberanos da agência canadiana, Fergus McCormick, admitiu os dados sobre o crescimento do PIB revelados na semana passada pelo INE “reforçaram as nossas preocupações acerca das perspectivas de crescimento, que parecem estar a abrandar no terceiro trimestre”.

Depois de auma avaliação em abril, em que o rating de Portugal se manteve inalterado, a próxima avaliação da DBRS está agenda para 21 de outubro - poucos dias depois da apresentação do Orçamento do Estado para 2015.

Apesar de realçar que a perspetiva do rating português é “estável”, McCormick assumiu que há deterioração nos indicadores em Portugal. “A perspectiva mantém-se estável, mas as pressões parecem aumentar”, referiu o analista da DBRS.

Entre as quatro agências internacionais que analisam a dívida soberana nacional, a canadiana é a única que mantém Portugal neste nível não especulativo – ou fora do patamar de ‘lixo’, na gíria dos mercados financeiros.