Internacional

China proíbe muçulmanos em hotéis

A ordem coincide com a realização do G20


Hotéis que não façam parte de cadeias internacionais deixaram de poder albergar muçulmanos em Guanghzou.       

Embora o ministro dos negócios estrangeiros chinês negue os rumores, vários trabalhadores locais confirmaram que a polícia deu ordens para os hotéis não aceitarem hóspedes do Afeganistão, Iraque, Síria, Paquistão e Turquia durante este verão.          

A ordem coincide com a realização do G20, causando a ideia de que se trata de uma medida de segurança devido ao evento que acolhe vários líderes mundiais.

O G20, que ocorrerá de 4 a 5 de Setembro em Hangzhou, está a causar vários transtornos em regiões circundantes como Guanghzou.

A polícia bloqueia o trânsito para executar postos de controlo de documentos, levando a crer que o receio de ameaças terroristas é elevado.​