Politica

Vitor Gaspar dá recado: não se deve subir impostos para pagar dívida

Antigo ministro das Finanças descredibilizada a ligação entre os aumentos da carga fiscal e a estabilização da dívida pública.

Para o antigo ministro das Finanças, Vitor Gaspar, não é tarefa fácil reduzir o endividamento, mas o economista acredita que é possível tomar algumas medidas para tornar o peso mais comportável para as contas públicas. 

O antigo ministro das Finanças português e o colega do FMI, Julio Escolano, assinaram recentemente o trabalho “Optimal Debt Policy Under Asymmetric Risk” onde defendem que a redução de dívida deve ser feita de forma gradual, ao longo do tempo.

No entender de Gaspar e Escolano, medidas como aumentar os impostos para ter margem suficiente para pagar aos credores externos têm de ser postas de parte. E mesmo que a tendência global seja de aumento da dívida, Gaspar e Escolano explicam que seguindo este caminho, a percentagem de endividamento torna-se mais fácil de gerir. 

"A chave para conseguir uma maior suavidade fiscal é a redução limitada mas repetida da dívida pública em anos normais para a economia", concluem os dois especialistas do Fundo Monetário Internacional.