Sociedade

Presidente do Grupo Lena nega confissão de subornos a Sócrates

O presidente executivo do Grupo Lena, Joaquim Paulo da Conceição, nega "total e categoricamente" ter admitido o pagamento de subornos a José Sócrates.

A manchete do Correio da Manhã, desta sexta-feira, avançou que Joaquim Paulo da Conceição confessou, em depoimento no Departamento Central de Investigação Central de Investigação e Ação Penal, ter dado dinheiro ao antigo primeiro-ministro para que este o ajudasse a conseguir negócios para o grupo Lena.

No entanto, o empresário emitiu um comunicado no qual refuta o conteúdo da notícia "na totalidade”.

O diário noticiou que as declarações de Joaquim Paulo da Conceição foram feitas durante um interrogatório, no âmbito da Operação Marquês, nos últimos dias de junho.

A operação já resultou em 18 arguidos, sendo o mais mediático José Sócrates, indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva, que esteve preso preventivamente mais de nove meses.