A maior das manchas no Europeu: adepto irlandês encontrado morto

A maior das manchas no Europeu: adepto irlandês encontrado morto

Após as mais de 50 detenções já realizadas, a tragédia concretizou-se no Europeu. Na manhã desta quarta-feira foi encontrado o corpo de um jovem adepto irlandês que estava desaparecido há três dias, no rio que atravessa Bydgoszcz, cidade localizada entre Poznan e Gdansk.


as autoridades estarão apenas a aguardar que o pai de james nolan chegue à cidade para identificar o corpo e confirmar as suspeitas, já que com o corpo ainda estava a sua carteira, com vários cartões no seu interior.

na madrugada de domingo, os amigos de james nolan descobriram que o estudante de 21 anos não tinha regressado ao hotel onde estavam hospedados. só volvidas 15 horas é que o grupo de três informou a polícia polaca do seu desaparecimento.

antes, o grupo, de pelo menos seis pessoas, tinha estado num bar da cidade a consumir bebidas alcoólicas. à medida que as buscas se foram concretizando nos últimos dias, a imprensa irlandesa chegou a avançar que os jovens poderiam ter entrado em conflito com alguns cidadãos polacos.

o irish independent conta que os três amigos de nolan já prestaram depoimento numa esquadra local, onde também lhes foram recolhidas amostras de sangue e adn, à medida que a investigação – que terá mobilizado à volta de uma centena de membros da polícia -, se foi desenrolando.

o grupo de amigos tinha-se deslocado à polónia por via de uma auto caravana para assistir aos encontro da selecção irlandesa no europeu.

james nolan terá visto os primeiros dois jogos no interior do estádio de poznan, onde a irlanda jogou, e tanto ele como os seus amigos terão ficado na cidade de bydgoszcz a assistir pela televisão à última partida, que a sua selecção disputou em gdansk, frente à itália.

as outras manchas deitadas por russos e croatas

a morte do jovem ergue o episódio mais negro na história que até agora se escreveu neste europeu. 

nas duas semanas anteriores, a maior mancha tinha sido preenchida pela violência nas ruas das cidades que acolheram jogos, protagonizados pelos adeptos, principalmente, da selecção russa, polaca, checa e croata.

as autoridades da polónia e ucrânia já efectuaram mais de 50 detenções. dentro dos estádios, o comportamento de adeptos tem sido correspondido por uma mão pesada da uefa, direccionada às federações de futebol dos países dos desordeiros em causa.

a federação croata foi multada em 80 mil euros após os seus adeptos terem dirigido insultos racistas a mario balotelli, durante o encontro que opôs os croatas à itália, na fase de grupos.

as mais árduas sanções foram porém para a rússia. a sua federação foi multada, no total, em 120 mil euros após os seus adeptos terem atacado alguns stewards (funcionários do estádio) durante a partida frente à república checa. 

além da punição monetária, a uefa ditou igualmente que sejam deduzidos seis pontos à selecção russa na qualificação para o europeu de 2016, algo que contra o qual a federação russa já apelou.

diogo.pombo@sol.pt