Economia

Luxemburgo pode avançar com ações criminais contra responsáveis pela queda do GES

Os curadores da insolvência do GES no Luxemburgo querem saber quem foram os responsáveis pela queda do grupo, ponderando avançar com “ações criminais”.

A comissão liquidatária das sociedades do Grupo Espírito Santo em insolvência no Luxemburgo publicou um relatório onde reclama 7.900 milhões de euros ao grupo no país.

Para obter o montante, os curadores da insolvência estão a ponderar “ações criminais” contra os responsáveis pela situação, avança esta terça-feira o “Jornal de Negócios”. Assim, neste momento, está a ser feito um levantamento às “operações suscetíveis de ter tido uma influência significativa na situação financeira do GES e das sociedades em insolvência”, é possível ler no documento datado de final de agosto.

Mais do que isso, o relatório especifica que “os curadores estão a analisar a possibilidade de colocar ações criminais”. No entanto não se identifica quais serão os alvos dos processos ou os alegados responsáveis pela queda do grupo.