Economia

Mais de um terço dos portugueses sem rendimento suficiente para cobrir necessidades

20% admite recorrer ao crédito.

Mais de um terço dos portugueses não tem rendimento suficiente para satisfazer as necessidades e 16% recorre ao crédito para as cobrir, segundo um inquérito da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) divulgado hoje.

No inquérito da OCDE sobre literacia financeira divulgado hoje, 35% dos portugueses responderam que nem sempre têm dinheiro para cobrir as suas necessidades e 16% admitiram que já recorreram ao crédito para as satisfazer.

Portugal fica acima da média dos países da OCDE, em que 27% dos inquiridos admitem não ter rendimentos suficientes para satisfazer as necessidades básicas e 14% recorreram ao crédito para as cobrir.

Literacia financeira varia consoante o género

A OCDE também concluiu que o conhecimento financeiro varia por género: em 18 das 30 economias que participaram no inquérito, os homens têm pontuações mais elevadas do que as mulheres.

Em Portugal, 67% dos homens inquiridos e 54% das mulheres têm uma pontuação de pelo menos cinco (em sete) nas questões sobre conhecimento financeiro.

Em 15 países e economias, menos do que metade dos adultos definem objetivos financeiros de longo prazo e tentam alcançá-los, um "comportamento que é essencial para a segurança e bem-estar financeiros de longo prazo", defende a OCDE. Pelo contrário, em Portugal, por exemplo, mais de seis em 10 inquiridos tem tendência em favorecer o longo prazo.