Internacional

Piratas islandeses ganham terreno

Partido antissistema triplicou os seus assentos parlamentares. Não há maiorias claras. 

O Partido Pirata da Islândia triplicou o número de assentos parlamentares nas eleições legislativas deste sábado, em que terminou em terceiro lugar, ligeiramente atrás dos ecologistas e com cerca de metade dos votos conquistados pelo Partido da Independência, que tem agora de negociar uma aliança para se revalidar no poder.

Votos contados, os piratas conquistaram 14,5% dos votos e dez deputados, os mesmos que os ecologistas. A aliança de partidos de esquerda que integra, porém, chegou apenas aos 27 lugares, a cinco assentos de distância da maioria. Apesar disto, o Partido da Independência também não tem uma via clara para chegar à maioria de 32 assentos.  

As eleições antecipadas de sábado ficaram marcadas pelo escândalo dos Panama Papers, em abril, que provocou a demissão do então primeiro-ministro islandês, Sigmundur Davið Gunnlaugsson. O seu Partido Progressivo, aliado do Partido da Independência, perdeu quase metade dos votos em relação às últimas eleições.