Vida

Esta mulher matou três maridos, um amante e 11 dos seus filhos

É considerada a primeira serial killer de Inglaterra

Já ouviu falar em Mary Ann Cotton? A sua vida foi de tal forma dramática que o canal ITV decidiu fazer uma série sobre as suas aventuras… ou melhor, os seus crimes.

Duas décadas antes de Jack o Estripador se tornar o serial killer mais temido de Inglaterra, Mary Ann Cotton já tinha feito o suficiente para entrar na história do mundo do crime britânico.

Os especialistas não têm a certeza em relação ao número de homicídios perpetrados, mas está provado que, entre 1860 e 1872, esta mulher matou os seus três maridos, um amante e 11 dos seus filhos. No entanto, vários investigadores acreditam que Mary Ann Cotton pode ter sido a responsável por 21 homicídios – todas as vítimas eram envenenadas, mas os sintomas assemelhavam-se aos de uma gripe.

Esses mesmos especialistas referem, no entanto, que as autoridades poderão ter sido precipitadas no que diz respeito à condenação desta mulher, já que foram tidos em conta vários rumores durante o processo de investigação, sem que fossem comprovadas as alegações. Por isso, vários defendem que o uso da palavra ‘psicopata’ no caso de Mary Ann Cotton é abusivo.

A história desta mulher era relativamente desconhecida até aos dias de hoje, dando-se muito mais relevância aos casos do Jack o Estripador. Agora, o canal ITV vai estrear uma série dedicada à vida desta dona de casa, que muitos acreditam ser a primeira serial killer de Inglaterra – a atriz Joanne Froggatt, conhecida pelo papel da empregada Anna na série Downton Abbey , será a protagonista de Dark Angel.

Se tenciona ver a série, não leia as próximas frases – somos obrigados a desvendar o final.

Como seria de esperar naquela altura, Mary Ann Cotton foi condenada à morte. Tinha 40 anos quando foi enforcada – no dia a seguir à sua morte, o jornal Newcastle Chronicle descreveu-a como “um monstro com forma humana”.

Para saber mais sobre a vida de Mary Ann Cotton, clique aqui