Desporto

Futebol. Presidente da APAF culpa grandes pelo clima de violência

Três árbitros foram agredidos nas provas distritais no passado fim de semana

Luciano Gonçalves, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), apelou a uma mudança de comportamento dos líderes dos clubes grandes para que a violência no futebol português diminua de proporção. "Estes clubes têm um grande poder de influência sobre muita gente. Não estou a dizer que uma coisa origina a outra, mas a verdade é que quando aumentam as críticas, a quantidade de agressões nos Distritais também aumenta", afirmou o dirigente em declarações à Sport TV.

Estas palavras vêm na sequência das agressões a árbitros no passado fim de semana em Vila Real, Bragança e Aveiro, no Campeonato de Portugal e nas competições distritais. "A APAF vai exigir que as pessoas que têm peso desportivo, que estão diretamente envolvidas com o futebol, sejam penalizadas. A nível civil iremos seguir todos os parâmetros para minimizar ou acabar com este tipo de situações", acrescentou Luciano Gonçalves.

Questionado sobre a possibilidade, levantada de forma irónica pelo FC Porto na sua newsletter "Dragões Diário", de ser Fábio Veríssimo a dirigir o clássico de domingo com o Benfica, Luciano Gonçalves considera que é "mais do mesmo". "São declarações com intenção clara de condicionar a nomeação. Não tenho dúvidas que jamais irá influenciar a decisão do Conselho de Arbitragem. Acredito que Fábio Veríssimo irá fazer um clássico ou dérbi no decorrer da época. Se não for uma hipótese para este jogo, nada tem a ver com a pressão que o FC Porto exerceu", realçou o dirigente, acrescentando ainda: "Infelizmente, os árbitros portugueses estão muito bem preparados para lidar com situações de ameaças e críticas."