Politica

Pacheco Pereira diz que estruturas do PSD estão dominadas pela maçonaria

Pacheco Pereira defendeu a ideia de que Passos está de pedra e cal e explicou porquê. 

Pacheco Pereira até é amigo de Rui Rio e crítico de Pedro Passos Coelho. Mas isso não é suficiente para ter ilusões sobre uma mudança na liderança do PSD depois de ontem Rio se ter afirmado como alternativa a Passos.

No programa da SIC Notícias, Quadratura do Círculo, Pacheco Pereira defendeu a ideia de que Passos está de pedra e cal e explicou porquê. 

“A direção política do PSD, a maioria das distritais e o grupo à volta de Passos Coelho é completamente diferente da direção política do passado e não é sensível a esse tipo de lógica efervescente por uma razão: precisam desesperadamente de Passos Coelho. Detestam o Rio e precisam de Passos se conservar“, analisou Pacheco Pereira, que vê num partido de génese "anti-comunista e anti-maçónica" uma mudança fundamental que muda as antigas lógicas do PSD.

"Alguém imagina um partido que desde a sua génese é anti-comunista e anti-maçónico, estar como está hoje, com direções distritais todas na maçonaria?”, questionou o social-democrata que acredita que Passos vai manter-se no poder até aparecer um sucessor por si designado é que não vai haver crise no partido, apesar da "efervescência" jornalística.