Economia

Turismo. Portugal vai ter mais 30 hotéis já no próximo ano

Porto e zona Norte estarão em destaque com mais 11 unidades hoteleiras e quatro remodelações. Segue-se Lisboa com dez

O setor do turismo não podia estar mais satisfeito com os resultados deste ano. Mais procura, mais dinheiro a impulsionar o setor, preços mais altos e estimativas que apontam para uma melhoria contínua. Prova disso é o facto de para o ano a Associação da Hotelaria em Portugal (AHP) esperar resultados superiores aos deste ano e anunciar que vão abrir mais 30 hotéis.

Para Raul Martins, presidente da AHP, quando se fala dos resultados alcançados este ano é preciso ter em conta que 2016 foi “o melhor ano de sempre”: Foi a primeira vez que se ultrapassaram todos os indicadores de 2007, considerado o melhor ano de sempre para o turismo nacional.

O representante da AHP não esconde os motivos da satisfação do setor: A ocupação da oferta disponível atingiu uma média perto de 69% de janeiro a agosto.

A verdade é que são estes números que justificam que haja uma aposta cada vez mais forte na abertura de novos hotéis. Só no ano passado abriram 40 novos hotéis, este ano foram inaugurados 26 e para o ano abrem mais 30. De acordo com os dados da AHP, é ainda importante referir que vão ainda ser remodelados oito hotéis que já existem.

Em termos de localização, a maior aposta acontecerá no Porto e em toda a zona Norte, onde serão inaugurados 11 novos hotéis e quatro remodelações. Já em Lisboa, abrirão mais dez novos e contaremos com duas remodelações.

Também há novidades para o Centro e Algarve, que terão três novos hotéis, o Alentejo terá dois e a Madeira contará com um.

Tendo em conta as perspetivas de crescimento, o presidente da AHP não esconde que haverá em 2017 um novo foco: a subida dos preços, que, de resto, já tem vindo a acontecer este ano.

Maior subida de preços Ainda o mês não vai a meio e a hotelaria lisboeta já está em destaque, com um crescimento de 9,89% nos preços face ao período homólogo, o que representa o maior desenvolvimento deste mês em toda a Europa. As conclusões fazem parte do mais recente estudo Trivago Hotel Price Index e apontam para o facto de Lisboa ter ficado à frente das 50 principais capitais europeias em matéria de preços.

Depois de ter sido registada uma ligeira quebra nos preços no decorrer do mês passado, Portugal apresenta agora um crescimento positivo (+1,25%) em comparação com novembro do ano passado.

“Esta evolução positiva da capital portuguesa acontece na altura em que Lisboa foi palco da Web Summit – um evento que elevou a média da hotelaria lisboeta para os 198 euros durante os quatro dias da conferência”, explica o estudo, acrescentando que, “olhando para as regiões, Lisboa surge igualmente em destaque, com um crescimento de 8,99%, assumindo-se mesmo, este mês, como a região mais cara do país, com um quarto duplo a custar 97 euros quando, no ano passado, a média não ultrapassava os 89 euros.”

Ainda assim, o mesmo estudo destaca que, em termos gerais, Cascais também continua na lista das localidades nacionais onde os hotéis são mais caros, com um custo médio de 115 euros por noite. Já o destino nacional mais acessível é Portimão, onde o preço médio ronda os 43 euros.

O aumento dos preços em Lisboa ganha principal destaque porque se distancia do que tem estado a acontecer noutras cidades do Velho Continente. Os preços médios têm estado a cair nos primeiros dias de novembro em comparação com meses anteriores. Em Paris, por exemplo, o preço médio por noite, em quarto duplo, caiu dos 160 euros, praticados em outubro, para 130 euros.