Sociedade

Comandos. Diretor da prova e o médico do curso detidos

Detenções foram efetuadas hoje de manhã durante uma operação do DIAP e da PJ Militar. No total, foram detidos sete militares já na condição de arguidos

Comandos. Diretor da prova e o médico do curso detidos

Sete militares dos Comandos foram detidos esta manhã, durante uma operação da Polícia Judiciária Militar e do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, avançou o Expresso. Segundo o Jornal de Notícias, os militares detidos têm diferentes patentes, tratando-se de cinco oficiais (um tenente-coronel, três tenentes e um capitão) e dois sargentos. Entretanto, o Ministério Público (MP) informou em nota enviada às redações que entre os militares - que já foram detidos na condição de arguidos - está o diretor da prova, o médico e cinco instrutores. 

Os militares são "suspeitos da prática de crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física", disse o MP. Na mesma nota, o a Procuradoria-Geral da República adianta que "as investigações prosseguem estando causa em factos suscetíveis de integrarem os já referidos crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física bem como de crimes de omissão de auxílio". Os arguidos vão ser agora transferidos para o Estabelecimento Prisional de Tomar e serão interrogados amanhã em Lisboa por Cândida Vilar, procuradora do DIAP. 

Os militares foram detidos no decorrer da investigação da morte de dois instruendos do 127.º curso de Comandos vítimas de um golpe de calor. Hugo Abreu perdeu a vida a 4 de setembro, no segundo dia oficial do curso. Dylan da Silva foi internado no mesmo dia e acabou por morrer a 9 de setembro. 

A investigação é conduzida pela Polícia Judiciária Militar e pelo Ministério Público. Até agora, foram constituídos dois arguidos no processo: dois sargentos enfermeiros que faziam parte da equipa de serviço destacada para acompanhar o 127.º curso de Comandos.

(em atualização)

 

 





 

 

 

Os comentários estão desactivados.