Politica

PS critica falta de coerência do PSD em relação a pensões

Carlos César não entende a atitude que levou Pedro Passos Coelho a defender aumentos de pensões superiores aos propostos pelo Governo. E acusa o PSD de não ser coerente no que toca à Segurança Social.

"O que eu acho extraordinário sobre esta matéria das pensões é que o PSD, que nos últimos meses a dizer que a Segurança Social estava à beira da falência, agora ache que deve haver aumentos todo o ano e que esses aumentos sejam ainda maiores do que aqueles que o Governo propõe", atacou o líder da bancada parlamentar do PS.

Ainda assim, Carlos César propõe avaliar "com toda a boa fé todas as propostas" de alteração ao Orçamento na especialidade e a "aprovar aquelas que se coadunem com a orientação e a política orçamentais".

Recorde-se que na proposta inicial de Orçamento do Estado para 2017 o Governo propunha um aumento extraordinário de 10 euros para os pensionistas que recebam acima de 628 euros.

No entanto, a negociação à esquerda levou o Governo a admitir um aumento extraordinário também para as pensões mínimas embora apenas só de seis euros.

O aumento será financiado com o valor arrecadado através de uma alteração ao novo imposto sobre património imobiliário global que passará a abranger os imóveis propriedade de offshores e será agravado de 0,3% para 1% para os valores patrimoniais registados acima de um milhão de euros.