Economia

Venezuela afastada do Mercosul

O Mercosul suspendeu a Venezuela por falhar no cumprimento dos padrões de comércio e de democracia.

De acordo com a notícia avançada pelas agências Reuters e AFP, os países do bloco económico – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai – informaram a Venezuela que os seus direitos como membro do Mercosul “foram suspensos”.

A Venezuela já tinha anteriormente sido ameaçada de suspensão por não transpor os acordos da organização para a legislação nacional. Na semana passada os líderes dos estados membros do bloco que o governo do presidente Nicolas Maduro tinha falhado na adopção de 112 resoluções.

Caracas contra-argumentou que não pode adotar as medidas porque estas são incompatíveis com as suas leis internas.

Dos acordos que não foram cumpridos destaca-se a promoção e proteção dos direitos humanos. "A plena vigência das instituições democráticas e o respeito dos direitos humanos e das liberdades fundamentais são condições essenciais para a vigência e evolução do processo de integração entre as partes", diz o primeiro artigo do protocolo.

A suspensão é por tempo indeterminado e para retornar ao Mercosul a Venezuela terá que renegociar todo o seu protocolo de adesão, com novos prazos para cumprimento dos acordos, como se estivesse a negociar uma nova adesão.