Economia

Obras do novo aeroporto de Lisboa em 2019

Pedro Marques, ministro do Planeamento e Infraestruturas, garante que as obras do novo aeroporto de Lisboa deverão começar em 2019. 

Até porque, para o executivo, “é irreversível que o aeroporto Humberto Delgado (Portela) precisa de um acrescento de capacidade”.

Já o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, fala em pressões e diz que nada está decidido. "Do que se trata aqui é, percebendo eu muito bem quando vem pressão para um lado ou quando vem pressão para o outro, de não nos deixarmos influenciar muito pelo ruído e insistindo politicamente no seguinte, não está nada decidido, estão estudos a decorrer", explica.

A verdade é que cada vez mais vozes se juntam para exigir que seja pensada uma solução rápida para alargar o Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. Depois de David Neeleman, um dos acionistas privados da TAP, ter feito saber que é urgente que se encontre uma solução, também o presidente da Confederação do Turismo Português, Francisco Calheiros, considera que a decisão sobre o futuro do aeroporto, já muito perto do limite da sua capacidade, tem de ser tomada com urgência.

«Não podemos exigir mais turistas e não termos as condições de infraestruturas para os acolher e permitir o seu fluxo interno no destino e da sua redistribuição inter-regiões. A TAP está a investir em força no novo estratégico do Atlântico Norte com a ambição de trazer mais turistas dos Estados Unidos e prepara-se no próximo ano para arrancar com os primeiros voos diretos para a China», começou por explicar, acrescentando que estas novas apostas se traduzem num retorno de milhões de euros para o país. «O impacto que estes dois mercados gigantes podem ter no nosso turismo – e consequentemente na economia nacional – é incalculável. A capacidade aeroportuária de Lisboa é determinante para a competitividade da economia portuguesa. Não vamos nem podemos esperar mais», explicou.