Sociedade

Ana Margarida de Carvalho afastada da revista Visão de forma "humilhante"

A jornalista que foi uma das grandes revelações da literatura portuguesa nos últimos anos denuncia nas redes sociais a forma degradante como foi afastada da revista "Visão"

Ana Margarida de Carvalho afastada da revista Visão de forma "humilhante"

Ana Margarida de Carvalho, uma das mais admiráveis escritoras a notabilizarem-se no panorama literário nacional, partilhou hoje na sua página pessoal do Facebook uma mensagem em que diz que se sentiu "destratada e desconsiderada e humilhada e coagida a assinar um contrato de rescisão, tudo menos amigável", terminando assim da forma mais inglória uma carreira de 24 anos no jornalismo.

Vencedora do Grande Prémio de Romance e Novela APE com o seu romance de estreia, "Que Importa a Fúria do Mar" (livro que tinha sido finalista do Prémio Leya), publicado em 2013, pela Teorema, já este ano publicou na mesma editora o romance "Não se Pode Morar nos Olhos de Um Gato". Além de, com apenas dois títulos, se ter firmado como um dos nomes mais seguros da ficção portuguesa, ao longo dos anos assinou reportagens que lhe valeram sete dos mais prestigiados prémios do jornalismo português, entre os quais o Prémio Gazeta Revelação do Clube de Jornalistas de Lisboa, do Clube de Jornalistas do Porto ou da Casa de Imprensa.

Filha do também escritor Mário de Carvalho, Ana Margarida exerceu a actividade jornalística noutras publicações como a revista "Ler", o "Jornal de Letras" ou a "Marie Claire", e colaborou ainda com a SIC.

Se este caso não é de todo incaracterístico, é bem ilustrativo da degradação da profissão, num processo em que os que mais lhe deram se vêem empurrados e substituídos por "seres anónimos e transitórios". Por outro lado, a mensagem da jornalista, mais do que um mero desabafo, pinta um retrato curioso da profissão, falando da inveja de que se viu alvo por parte de alguns colegas, e de como esta se mostrou "uma força mobilizadora". Revela ainda a sua estupefacção com o "talento desmesurado para a intriga" revelado por esses colegas sem especial talento para o jornalismo e que, se infere, terão feito os possíveis para castigar a jornalista que resolveu ser uma grande escritora.

filha do também escritor Mário de Carvalho. Tem exercido atividade como jornalista (na SIC, revista ‘Ler’, ‘Jornal de Letras’, ‘Marie Claire’ e ‘Visão’), quer como repórter quer como crítica de cinema.

Ler mais em: http://www.cmjornal.pt/cultura/detalhe/ana_margarida_carvalho_vence_grande_premio_romance_e_novela
filha do também escritor Mário de Carvalho. Tem exercido atividade como jornalista (na SIC, revista ‘Ler’, ‘Jornal de Letras’, ‘Marie Claire’ e ‘Visão’), quer como repórter quer como crítica de cinema.

Ler mais em: http://www.cmjornal.pt/cultura/detalhe/ana_margarida_carvalho_vence_grande_premio_romance_e_novela

O conhecido jornalista Francisco Belard, atualmente freelance, mas que esteve quase 27 anos no Expresso que assim como a Visão pertence à Impresa, afirmou-se surpreendido e relembrou outros casos e quando 'tudo' começou.

Ana Margarida de Carvalho agradeceu o apoio e respondeu

Os comentários estão desactivados.