Economia

CGD. Comissão de inquérito retomada esta terça-feira

Já António Domingues vai ser ouvido na quarta, mas na comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa.


A comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos recomeça já esta terça-feira e, a partir de agora, vai contar com audições duas vezes por semana.

Para as 15 horas está marcada a audiência de António de Sousa, ex-presidente do conselho de administração do banco público entre 2000 e 2004.

Na quinta-feira, às 18 horas, Luís Campos e Cunha vai falar sobre o curto período do mandato, enquanto ministro das Finanças, entre março e julho de 2005. Nessa altura, recusou substituir Vítor Martins na administração da Caixa, como pretendia o então primeiro-ministro José Sócrates.

A comissão de inquérito à gestão da CGD arrancou em julho de 2016. Desde então, foram ouvidos apenas dois presidentes da Caixa, um governador do Banco de Portugal e quatro ministros das Finanças, incluindo o atual, Mário Centeno. Portanto, sete envolvidos no banco público.

O PSD também queria que Domingues fosse ouvido na comissão parlamentar de inquérito à gestão da CGD. Mas a esquerda opôs-se, libertando-o assim António Domingues de ter de respeitar as regras de uma comissão de inquérito, como responder obrigatoriamente às questões dos deputados. Ainda assim, vai ser ouvido na quarta-feira, na comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, no mesmo dia em que arranca a capitalização da Caixa. Uma operação que avança, apesar do banco ter uma administração em gestão corrente.