Economia

Mercado livre de eletricidade conta com 4,7 milhões de clientes em novembro

Foi entretanto alargado o prazo para mudar para o mercado livre de eletricidade até 2020.

O mercado livre alcançou um número acumulado de cerca de 4,7 milhões de clientes em novembro, com um crescimento líquido de cerca de 25 mil clientes face a outubro de 2016. Os dados foram revelados pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Já o número de clientes que ainda está no mercado regulado ascendia, em novembro, a cerca de 1,42 milhões. Isto significa que ainda estão sujeitos à aplicação de tarifas transitórias, que aumentaram 1,2% este ano. 

A EDP manteve-se como principal operador no mercado livre, mantendo a quota em número de clientes (85%) e em consumo (46%). Já a Endesa reforçou a liderança nos segmentos de grandes consumidores e de clientes industriais (29%).

Recorde-se que, ainda esta semana, foi anunciado que alargado o prazo para mudar para o mercado livre de eletricidade até ao final de 2020. “Este novo calendário concede às famílias portuguesas, que ainda não mudaram para o mercado liberalizado, mais três anos para poderem escolher um comercializador que pratique um regime de preço livres”, revelou o Ministério da Economia.