Economia

Uber suspende inscrição de novos automóveis até março

Plataforma está a reestruturar a sua atividade, mas continua a lançar novos serviços

A inscrição de novos automóveis na Uber foi suspensa até ao início do mês de março. O anúncio foi feito pela empresa de transporte, que comunicou aos parceiros que “o processo de inscrição na plataforma vai estar em revisão e não será possível inscrever novos veículos até ao próximo dia 6 de março”, garantiu ao i fonte da empresa.

Mas as alterações não ficam por aqui. A Uber vai também suspender as contas de todos os motoristas e de todos os veículos que não tenham realizado viagens na plataforma nos últimos dois meses. Fica apenas a funcionar a inscrição de motoristas, a inscrição de veículos de substituição e a inscrição de veículos nos quais os parceiros já tenham realizado investimentos financeiros.

Mas os motoristas que estejam atualmente ativos e a realizar viagens para empresas de parceiros poderão também tornar-se parceiros e adicionar um veículo à sua nova conta de parceiro, indica a empresa.

Perfil de empresa Ao mesmo tempo que divulga estas medidas de reestruturação, a Uber acaba de anunciar um novo serviço para clientes. Trata-se do perfil de empresa e destina-se a deslocações profissionais. A ideia, de acordo com a plataforma, é simples: separar os percursos das faturas pessoais das profissionais.

“Com o perfil de empresa, os utilizadores da Uber poderão associar a informação fiscal da empresa para efeitos de faturação e apresentação de despesas – e todas as semanas ou todos os meses receberão automaticamente, por email, um relatório com todas as viagens profissionais e respetivas faturas. Ao viajar com o perfil pessoal, todas as viagens continuarão a ser faturadas com a sua informação fiscal pessoal de utilizador”, lembra a empresa de transporte.

Também o processo de envio de despesas para a empresa passa a ser mais simples. Os utilizadores podem receber um relatório semanal ou mensal de todas as suas viagens em trabalho, bem como as respetivas faturas, diretamente no email. Os utilizadores podem também especificar um endereço de email diferente para onde serão enviados os recibos e as faturas das viagens em trabalho.

Guerra no setor continua Estas alterações levadas a cabo pela Uber surgem numa altura em que já foi aprovada em Conselho de Ministros a legislação que vai regular a atividade das plataformas de transporte.

A verdade é que a relação com os taxistas está longe de ser pacífica. Ainda esta semana, o setor anunciou que iria avaliar novas formas de luta em fevereiro. Segundo estes profissionais, a legislação que regula o transporte individual de passageiros não está a ser cumprida por parte de “alguns polícias”, que não estarão a fiscalizar nem a aplicar coimas às viaturas que circulam sem licença, através da Uber e da Cabify.

Em causa está a lei 35/2016, em vigor desde novembro, que regulamenta o acesso à atividade e ao mercado dos transportes em táxi e reforça as “medidas dissuasoras de atividade ilegal” no setor. Com este diploma, as coimas pelo exercício ilegal de transporte de táxi foram reforçadas. Pelo exercício da atividade sem o alvará, as coimas passaram a ser de 2 mil a 4500 euros (pessoa singular) e entre 5 mil e 15 mil (pessoa coletiva). Mas, segundo o representante dos taxistas, estas coimas não estão a ser aplicadas às cerca de 1400 viaturas que circulam sem alvará, através da Uber e da Cabify.