Economia

Metade dos empregos do mundo podem desaparecer em 25 anos

Nem contabilistas, médicos, advogados e professores estão a salvo.

O mercado laboral vai sofrer uma mudança histórica nas próximas duas décadas e meia. O alerta é feito por estudo da Universidade de Oxford e diz que 47% dos trabalhos que existem atualmente deverão desaparecer no espaço de 25 anos, fruto de uma revolução tecnológica com consequências sociais potencialmente devastadoras.

Nenhum governo está preparado" para a mudança de paradigma e os respetivos efeitos no desemprego, que se tornará estrutural: Art Bilger prevê taxas de desemprego a rondar os 30% em todos os países desenvolvidos. E não são só os setores tradicionalmente tecnológicos que vão sofrer.

Contabilistas, médicos, advogados e até professores não estão a salvo, pois segundo o investigador norte-americano, "os computadores serão capazes de analisar e comparar grandes conjuntos de dados", tomando mais decisões corretas e eliminando a margem de erro na maior parte das profissões.

A Finlândia experimentará em breve uma solução que poderá garantir o futuro dos desempregados, mas o Rendimento Universal está longe de ser uma solução apoiada pela maior parte da sociedade. As restantes soluções avançam a 'passo de caracol' e colocam em risco a estabilidade mundial numa altura e que o populismo já começa a tirar partido do cocktail explosivo de dificuldades laborais e falta de esperança da classe média para ascender ao poder.