Economia

Paulo Macedo toma posse até ao fim do mês de janeiro

Finanças garantem que não há “vazio de poder” na Caixa.

Paulo Macedo deverá assumir a liderança na Caixa Geral de Depósitos (CGD) já nos próximos dias. A garantia foi dada pelo Ministério das Finanças, assegurando que “tudo está a avançar muito bem” e que “não há vazio de poder” na Caixa. De acordo com o ministério, trata-se “apenas de um procedimento administrativo que as autoridades de supervisão farão de forma expedita”, sendo “os processos despachados à medida que se concluem os diferentes passos”.

O ex-ministro da Saúde do governo de Passos Coelho vai conduzir os destinos da Caixa, em substituição de António Domingues, juntamente com José João Guilherme, antigo administrador do BCP e do Novo Banco, e do adjunto do secretário de Estado do Tesouro, Nuno Martins. A Caixa contará ainda com uma administradora, Maria João Carioca, que abandona a liderança da Euronext Lisboa para regressar ao banco público.

A lista de administradores do banco público fica completa com Francisco Cary, que foi quadro do Grupo Espírito Santo e administrador do BES Investimento, e com João Tudela Martins, que já fazia parte da equipa anterior.

A CGD está numa fase de alteração de gestão depois de, em 31 de dezembro, ter terminado o curto mandato de António Domingues à frente do banco público, que foi marcado por polémicas com o governo, sobretudo porque o gestor e a sua equipa se recusaram a entregar as declarações de rendimento e património junto do Tribunal Constitucional, argumentando que o executivo do PS tinha aceitado que não cumprissem o estatuto do gestor público.