Economia

Carlos Albuquerque sai do BdP para administrador da Caixa

Carlos Albuquerque, que ontem anunciou a saída da supervisão do Banco de Portugal e que vai integrar a administração da CGD, teceu há meses fortes críticas ao atual primeiro-ministro, considerando-o um dos responsáveis pela crise de confiança no Banif.

Carlos Albuquerque vai assumir o cargo de administrador da Caixa Geral de Depósitos. O ex-diretor do departamento de supervisão do Banco de Portugal (BdP) irá integrar a equipa de Paulo Macedo que ainda não está completa. Os administradores executivos do banco público assumiram ontem funções, mas o Banco Central Europeu (BCE) ainda não deu luz verde à lista dos não executivos. 

O ex-diretor do departamento de supervisão do Banco de Portugal chegou a acusar o atual primeiro-ministro, António Costa, pela situação que foi vivida no Banif. Carlos Albuquerque, em abril passado, quando foi ouvido na comissão de inquérito parlamentar à venda e resolução do Banif, revelou que “foram várias notícias que colocaram o Banif na esfera dos bancos com alguma dificuldade”, não afastando responsabilidades do primeiro-ministro, afirmando que Costa estava no lote de responsáveis políticos que diminuíram a confiança no Banif.

A saída de Carlos Albuquerque do órgão de supervisão foi conhecida ontem, através de um comunicado da instituição liderada por Carlos Costa. O BdP revelou ainda que o responsável vai ter de passar por um período de nojo imposto pelas normas de conduta e pelas correspondentes normas europeias. No entanto, quem irá definir o período de transição é o Mecanismo Único de Supervisão e a decisão vai depender da importância e do grau de informação a que Carlos Albuquerque acedeu no Banco de Portugal.

Antes de estar no órgão regulador, Albuquerque desempenhou vários cargos no BCP, tendo sido responsável pelo sistema de controlo interno do banco onde trabalhou com Paulo Macedo.

O conselho de administração do Banco de Portugal nomeou Luís Costa Ferreira para o substituir, regressando a um cargo que já ocupou em 2014, antes de ir para a PwC.