Sociedade

Zica. Vacina segura para mulheres só depois de 2020

O vírus do Zica continua a merecer toda a atenção da Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Um dos maiores focos de preocupação é o facto de, apesar de várias pesquisas estarem a ser desenvolvidas, não se conseguir ainda chegar a uma vacina que possa proteger as mulheres em idade fértil.

De acordo com a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, a solução pode mesmo vir a ser encontrada apenas em 2020. “Cerca de 40 vacinas permanecem em estudo. Algumas estão em fase de ensaios clínicos, mas uma vacina considerada segura o suficiente para ser usada por mulheres em idade fértil não poderá ser totalmente licenciada antes de 2020”, explicou Margaret Chan.

A notícia ganha maior relevância porque faz agora precisamente um ano que a OMS decretou que se tratava de um vírus que representa nada mais, nada menos, do que “uma emergência de saúde pública de alcance global”.

Ainda que mais tarde, a 18 de novembro, o estado de emergência tenha sido retirado, o Zica continua a estar ligado a deformações cerebrais graves em crianças. A doença tem, aliás, sido apontada como causa de muitos problemas neurológicos em adultos e principalmente de defeitos congénitos como, por exemplo, a microcefalia. Muitos casos foram observados em recém-nascidos de mães que foram infetadas durante a gravidez.