FMI

Lagarde defende relatório sobre a Grécia

A presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI) defende a visão pessimista do fundo sobre a economia da Grécia, nomeadamente a insustentabilidade da dívida. 

Christine Lagarde diz que o FMI tem de ser “quem diz a verdade” mesmo que haja quem não goste da sua análise.

O ministro grego das Finanças, Euclides Tsakalotos diz que o relatório do Fundo sobre a economia grega não “faz justiça” ao país ao subvalorizar o crescimento e o progresso feitos ao longo de anos de sacrifício.

Um relatório do FMI sustenta que Grécia tem feito progressos com vista a reduzir os enormes problemas orçamentais e a restaurar o crescimento económico, mas a dívida do país helénico permanece insustentável.

Na sequência do relatório, Lagarde afirmou que na análise à situação económica grega, o fundo, apesar das críticas, “tentou com toda a honestidade ser escrupuloso na verdade”.  

“Podem perguntar-me a mesma coisa três vezes, que responderei da mesma forma”, disse Christine Lagarde.

Segundo o FMI a dívida helénica ronda 180% do Produto Interno Bruto (PIB)  e maioria dos membros do conselho de administração da organização concorda que, “apesar dos enormes sacrifícios da Grécia e do generoso apoio dos parceiros europeus, alívio adicional pode ser necessário para restaurar a sustentabilidade da dívida”.

Esse alívio da dívida deve ser acompanhado por “uma forte implementação de políticas para restaurar o crescimento e a sustentabilidade”.