Cultura

Nova teoria sugere que Mona Lisa tinha sífilis

Será este o segredo escondido na obra?

Há uma nova teoria que diz que a musa de Da Vinci tinha sífilis.

Quem o afirma é o crítico de arte do jornal britânico The Guardian, citando um documento do séc. XVI.

O quadro pintado no início do séc. XVI é uma das obras mais enigmáticas de sempre e esta nova teoria vem acrescentar novas suposições.

Jonathan Jones, crítico literário do Guardian, acredita que Lisa del Giocondo, a mulher retratada no quadro por Da Vinci, tinha sífilis.

Um dos documentos citados por Jonathan Jones refere que a mulher se dirigiu a um convento para comprar “água de lesma”. O crítico foi pesquisar o que significava “água de lesma” e chegou à conclusão que se tratava de uma substância destinada a tratar doenças sexualmente transmissíveis.

Na altura, um surto de sífilis assolou a Europa, contagiando milhares de pessoas.

O crítico usa esta sua teoria para explicar a sensação macabra que a pintura transmite, dizendo que isto acontece por mostrar uma mulher doente de um mal cuja “origem está no sexo”.

Jones acrescenta ainda que a luz esverdeada do quadro também insinua um aspeto doente.