Economia

Fundo ou seguro de reforma?

Quem está a pensar num produto de poupança com vista à reforma pode optar por um fundo ou um seguro de reforma. Entre os planos poupança-reforma (PPR) existem as duas soluções, mas conte com diferenças. 

Os seguros apresentam garantia de capital, ou seja, funcionam com uma estratégia igual para todos os subscritores. Já os fundos apresentam um maior nível de risco; no entanto, conte com retornos maiores.

Antes de escolher analise o seu nível de risco e veja quanto tempo falta para a reforma. Feitas as contas, quem é mais conservador ou está mais perto da idade da reforma deve optar pelos seguros; caso contrário, opte pelos fundos, já que geralmente são mais atrativos do ponto de vista da remuneração.

Isto significa que quem estiver a mais de dez anos da reforma, ou seja, quem tenha até 55 anos de idade pode correr alguns riscos e subscrever um PPR sem capital garantido e com uma componente de ações. Uma vez que se trata de uma poupança de longo prazo, tem ainda muito tempo até à reforma. E os períodos menos bons serão certamente compensados por outros mais positivos, conseguindo um rendimento potencialmente superior aos das aplicações de capital garantido.