Economia

Instituto alemão conclui que austeridade em Portugal foi “contraproducente”

As medidas de austeridade amplificaram a crise.

O instituto alemão DIW concluiu que as medidas de austeridade aplicadas em Portugal entre 2010 e 2014 foram contraproducentes, agravando a recessão, cita o Jornal de Negócios.

No estudo publicado esta quarta-feira, o DIW diz que as medidas de austeridade “foram mal sucedidas e arrastaram Portugal, Espanha e Itália para a recessão.

O instituto alemão fala mesmo em “falhanço”: “Ao contrário do que geralmente se pensa, o falhanço da consolidação orçamental não resulta da falta de vontade de reformar dos governos. Na verdade, os cortes dramáticos na despesa e os aumentos de impostos impediram que as reformas produzissem plenos efeitos".

As conclusões deste relatório têm por base um estudo que analisa 12 países da OCDE entre 1980 e 2014.