Sociedade

Militar da GNR subornava menores para ter fotos de nudez

Arguido confessou os crimes
 

Um militar da GNR, de 35 anos, pedia fotografias nuas a menores de um clube de futebol do concelho de Penafiel, cujos atletas treinava quando tinha tempo livre.

O arguido confessou os crimes de natureza sexual, mas garantiu nunca ter tocado nos jovens.

No julgamento, que começou esta quarta-feira, no Tribunal de Penafiel, o arguido explicou que nunca teve qualquer intenção de ter contacto com as vítimas, recusando sempre o crime de abuso sexual de menores de que está a ser acusado.

Devido à confissão dos crimes – importunação sexual, pornografia e aliciamento de menores – as oito vítimas, menores com idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos, que iam testemunhar na primeira audiência, foram dispensadas.

De acordo com o Ministério Público, o homem pedia amizade aos jovens no Facebook e tinha conversas com eles de cariz sexual. Pedia-lhes que lhe enviassem fotografias dos seus órgãos sexuais e, em troca prometia-lhes dinheiro e roupa. Num dos casos chegou mesmo a pagar 20 euros para ter uma fotografia de um dos jovens e num outro caso ofereceu roupa e sapatilhas no valor de 180 euros.

Na maior parte dos casos, os menores enviaram fotografias íntimas, noutras tiravam imagens da internet e enviavam, de forma a enganar o militar.

De momento, o GNR encontra-se em liberdade e ainda está a exercer funções no posto do concelho.

Os crimes remontam aos anos de 2013 e 2015.