Desporto

Pelo simples prazer de ser melhor entre os piores...

Confronto excecional entre São Marino e Andorra, 202.º e 203.º classificados do ranking da FIFA. Vitória dos homens dos Pirenéus (2-0) com um golo com algo de português...


Até Saint Kitts e Nevis, essa seleção de duas pequeninas ilhas perdidas no Mar das Caraíbas, é capaz de bater Andorra. Sim. Um facto: no dia 12 de novembro de 2015, viajaram os caribenhos até aos Pirenéus e venceram o seu adversário, num jogo particular, por 1-0.

Nada de estranho. Afinal Andorra tem a derrota por vício. A última vitória que conseguira, até esta quarta-feira, fora no dia 13 de outubro de 2004, frente à Macedónia, num jogo disputado na capital do país, Andorra-a-Velha, por 1-0. E foi uma disputa séria: a contar para a fase de qualificação do Mundial desse ano, cuja fase final se disputou na Alemanha. Desde aí, um nunca mais acabar de desfeitas, entremeadas aqui e ali (muito, muito aqui e muito, muito ali) por uns empates. Neste histórico dia 22 de Fevereiro, uma “goleada histórica” - 2-0 em São Marino. Ah! Ninguém diga que não são os melhores dos piores.

Dia de festa. Afinal estiveram frente a frente o 202º e o 203º classificados do ranking da FIFA. Abaixo destas duas potências negativas - Andorra não sabia o que era uma vitória há 86 jogos; São Marino cumpriu 75 jogos sem triunfos - apenas as Ilhas Virgens Britânicas, Anguilla, Baamas, Djibuti, Eritreia, Gibraltar, Somália e Tonga. Ou seja, na Europa só mesmo Gibraltar consegue ser pior e nem país é, apenas uma colónia inglesa aborrecidamente (para os espanhóis) enclausurada no sul da Península Ibérica.

Acrescente-se, por ser fundamental: os golos de Andorra em São Marino foram marcados por Lima, aos 28 minutos, de grande penalidade, e por Martinez, aos 66. Ildefons Lima Solá, nascido em Barcelona no ano de 1979, mês de dezembro, fez valer a sua experiência do alto dos seus 37 anos. Joga no Santa Coloma desde 2014 e somou, imagine-se!, o seu décimo primeiro golo com a camisola de Andorra. Nada mau para quem já conta com 104 internacionalizações e passou por clubes como o Ionikos, da Grécia, o Las Palmas e Rayo Vallecano, de Espanha, e pelo Triestina, de Itália. A seu lado, nesta coluna dourada do futebol andorrenho, figura o seu colega de equipa Martinez, Cristian Martinez Alejo, dez anos mais novo, autor do segundo golo do histórico confronto de São Marino.

Martinez tem algo que o liga a Portugal: jogou no Lusitanos, um clube fundado em 1999 por emigrantes lusos de Andorra-a-Velha e que, em 2001/02, obteve uma vitória lendária na Copa Constitució, a taça nacional de Andorra, batendo o Inter Club d’Escalades com dois golos de Manuel Vieira. No ano seguinte foram campeões e disputaram até a fase preliminar da Liga dos Campeões, embora não sobrevivendo aos croatas do Varazdin.

Recorde-se que a (agora terrível!) seleção de Andorra está no grupo de Portugal de apuramento para o Mundial de 2018, na Rússia. No dia 7 de Outubro do ano passado, foi passada a ferro no Estádio Municipal de Aveiro, perdendo por 0-6, quatro golos de Cristiano Ronaldo. Daí para cá perdeu com a Suíça, em casa (1-2), e com a Hungria, fora (0-4). Esse golo frente à Suíça teve como autor um outro Martinez, Alexandre Martinez Palau, avançado centro do Andorra FC. Em outubro deste ano, caberá à seleção nacional deslocar-se ao Estádio Nacional, em Andorra-a-Velha. Para defrontar uma equipa que já não perde sempre...