Politica

Offshores: PS acusa Núncio de "ocultação deliberada"

Paulo Núncio assumiu hoje no Parlamento ter decidido não publicar as estatísticas sobre os 10 mil milhões que saíram do país para offshores entre 2011 e 2014 por ter tido "dúvidas". Uma afirmação que lhe valeu a acusação de "ocultação deliberada" por parte do PS.


Eurico Brilhante Dias recordou as várias versões que Paulo Núncio deu do caso desde que ele foi conhecido na semana passada, para concluir que "hoje vem dizer mais: a ocultação foi deliberada".

"Não só fez uma ocultação deliberada, como ela era do conhecimento dos ministros", acusou o deputado do PS, que usou como prova da sua afirmação uma resposta dada pelo chefe de gabinete do ministro das Finanças Vítor Gaspar ao PCP em 2012 sobre os valores transferidos para offshores.

Brilhante Dias considerou que se trata de um assunto grave e prometeu o empenho do PS para apurar o que se passou nas audiências sobre o caso das offshores que vão continuar a ter lugar na Comissão de Orçamento e Finanças.

"Este assunto não vai ficar por aqui, este assunto é um assunto grave. Hoje os portugueses precisam de facto de confiar noutro governo, porque o governo de que fez parte não fez o trabalho suficiente", afirmou Eurico Brilhante Dias, que ao contrário do que defendeu Paulo Núncio acredita que a publicação de estatísticas é uma ferramenta essencial no combate à fraude e à evasão fiscal.

"É evidente que a publicitação ajuda ao escrutínio", frisou Eurico Brilhante Dias, defendendo que a publicação de dados sobre as transferências de estatísticas "ajuda ao combate e esse é o entendimento de qualquer organização internacional, não só da União Europeia, mas também da OCDE".

Os comentários estão desactivados.