Sociedade

IPO de Lisboa não tem espaço para adolescentes com doenças oncológicas

Os adolescentes entre os 16 e os 18 anos, a quem tenha sido diagnosticada uma doença oncológica, ficam internados em unidades de adultos no Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa, por haver falta de espaço no serviço de Pediatria.

Segundo avança o Correio da Manhã, o pediatra Gomes Pedro critica esta solução. O médico considera que “não é positivo” para os menores estarem internados em áreas de adultos, onde podem assistir ao sofrimento desses mesmos doentes, algo que pode “contribuir para o agravamento do estado da doença” dos menores.

"Os adolescentes têm direitos inalienáveis, que incluem o internamento em área pediátrica, e não é aconselhável estarem em unidades de adultos, o que é gravoso para o seu estado emocional", refere Gomes Pedro, em declarações ao Correio da Manhã.

A assessoria do IPO reconhece que existe falta de espaço na Pediatria para os adolescentes até aos 18 anos, "as infraestruturas, nomeadamente do internamento, têm limitações de espaço, necessitando de ajustes que estão a ser efetuados para criar as condições adequadas a receber na Pediatria todos os doentes até aos 18 anos", explica fonte hospitalar.

O IPO de Lisboa recebe por ano cerca de 40 novos doentes entre os 16 e os 18 anos e tem 400 menores em tratamento. Em 2016, recebeu 186 novos doentes.