Sociedade

Praxes. Manuel Heitor quer combater "humilhação como tradição académica"

Ministro da Ciência e do Ensino Superior quer transformar as praxes em iniciativas de "mais cultura e ciência"

O ministro da Ciência e do Ensino Superior, Manuel Heitor, garante que vai combater a “humilhação como tradição académica” que, em seu entender, se verifica hoje nas praxes.  

O governante – que já assumiu ser contra as praxes – diz que é preciso transformar este ritual académico tornando a "integração dos estudantes" nas universidades e politécnicos em momentos de "mais cultura e ciência". Para Manuel Heitor é essa a "verdadeira a tradição académica".

O ministro falou em Braga, na Universidade do Minho, onde apresentou o estudo "A Praxe como Fenómeno Social", pedido pela Direção Geral de Ensino Superior a uma equipa de investigadores, onde mostrou também preocupação com o financiamento de bebidas alcoólicas a algumas atividades estudantis, lembrando que o financiamento público a associações académicas “está totalmente regulado”.

"O que o estudo mostra é que as praxes estão enraizadas e, por isso, temos que valorizar as práticas e as boas práticas de integração com mais cultura, com mais ciência por isso é verdadeiramente a tradição académica", disse Manuel Heitor citado pela Lusa.

Mas, de acordo com o relatório, a maioria das associações académicas concorda com a existência de praxes e opõe-se a uma proibição do ritual.