IGCP

Juros mais altos em leilão de dívida

Portugal emitiu 1112 milhões de euros de dívida pública a três e nove anos e pagou juros mais elevados que na última emissão comparável. 

Nas Obrigações do Tesouro (OT) com maturidade em 2026 foram colocados 612 milhões de euros, com uma taxa de 3,95%. A emissão anterior com o mesmo prazo tinha sido em junho do de 2016 e com um juro de 2,859%.

Já nas OT com maturidade em 2020 – um prazo incomum - foram colocados 500 milhões de euros. O juro foi de 1,216 e a procura excedeu em 2,71 vezes a oferta. “Comparativamente aos últimos leilões desta obrigação, a yield exigida foi inferior, no entanto, o montante colocado substancialmente inferior”, comentou Marisa Cabrita, gestora de activos da Orey Financial.

A especialista considera que “os resultados do leilão de hoje refletem uma procura robusta, numa altura em que se observa alguma diminuição do risco antes dos eventos que se aproximam, como as eleições francesas em Abril e a revisão de rating da DBRS, continuando a oferecer níveis de rentabilidade atrativos aos investidores”.

Os 1112 milhões de euros conseguidos com o duplo leilão ficaram no intervalo médio fixado pelo Instituto de Gestão do Crédito Público (IGCP) - 1.000 milhões a 1.250 milhões de euros. A operação acontece depois de terem sido pagos antecipadamente 1700 milhões de euros, uma tranche que tinha como maturidade o ano de 2019.