Politica

PSD em risco de ficar sem candidato a Matosinhos

Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, está no meio de uma guerra no PSD. A concelhia de Matosinhos aprovou a sua candidatura para as autárquicas, mas a distrital do Porto está a resistir ao nome do independente. Os últimos dias ficaram marcados por três votações para a indicação do candidato a Matosinhos, mas a aprovação do nome de Joaquim Jorge não garante que o assunto esteja arrumado. É que agora o fundador do Clube dos Pensadores está a ponderar retirar-se da corrida.


Quando Joaquim Jorge aceitou o convite para ser candidato pelo PSD à Câmara de Matosinhos, não aceitou logo. “Preferia ser candidato independente, mas não tenho estrutura nem dinheiro para conseguir fazer isso”. A garantia de que poderia levar outros independentes consigo nas listas chegou para o convencer a candidatar-se à gestão da cidade onde viveu 27 anos. Mas nessa altura o fundador do Clube dos Pensadores estava longe de imaginar o filme em que se veria envolvido.

A resistência da distrital

Joaquim Jorge só começou a perceber as resistências do líder da distrital do Porto, Bragança Fernandes, quando a votação da comissão política da concelhia para aprovar a sua candidatura começou por ser adiada por indicação da estrutura distrital. 

Bragança Fernandes terá feito saber que preferia outro candidato. Mas nunca chegou a falar com Joaquim Jorge, que assegura não saber quais os motivos por trás da resistência que o seu nome parece levantar na distrital do Porto do PSD. “Eu sou amigo do Bragança Fernandes. Até já apresentou um livro meu”, conta o independente ao i.

Este sábado, a concelhia aprovou finalmente o nome de Joaquim Jorge como candidato a Matosinhos. Mas o processo foi tudo menos pacífico.

Na quinta-feira, uma votação inicial tinha redundado num impasse, com oito votos a favor e oito contra. Um resultado confirmado na repetição dos votos e que deu lugar a mais um empate – desta vez por sete/sete – no sábado, quando faltaram dois dos membros da concelhia com direito a voto.

O empate foi ultrapassado com o voto de qualidade do presidente da concelhia, seguindo o procedimento que está previsto nos estatutos. Mas a decisão não deixou satisfeitos os que se opõem ao nome do independente e levou mesmo a que os que votaram contra saíssem da sala no momento em que o presidente da concelhia anunciou que iria desempatar a votação.

“Estou a ponderar retirar-me”, diz candidato

“Isto é uma luta do aparelho. Sou alheio a isto”, comenta ao i Joaquim Jorge, que assume agora estar a ponderar afastar-se da corrida.

“Estou a ponderar retirar-me. Ainda não me retirei porque tenho respeito por quem está comigo e quem me apoia”, declara ao i o fundador do Clube dos Pensadores, que revela ainda não ter conseguido falar com Bragança Fernandes sobre a situação, apesar da boa relação pessoal que diz manter com o líder da distrital do Porto.

“Não me atende o telefone nem me responde aos sms”, conta Joaquim Jorge sobre Bragança Fernandes, assumindo estar à espera de uma intervenção de Pedro Passos Coelho no assunto quando faltam menos de duas semanas para o prazo indicado pela direção do PSD para a definição dos candidatos do partido às autárquicas deste ano.

“Em Leiria, Passos Coelho interveio, aceitando a decisão da concelhia, apesar de estar em causa o nome do seu ex-chefe de gabinete Feliciano Barreiras Duarte”, recorda Joaquim Jorge, lembrando que nesse caso prevaleceu a vontade da estrutura local de avançar com o nome de Fernando Costa.

Até agora, Passos ainda não terá contudo dado quaisquer sinais neste caso, estando ainda a inteirar-se do que se passa em Matosinhos.