Lisboa

Tesouro leva 13 imóveis a leilão

A Direção-Geral do Tesouro e Finanças (DGTF) vai promover, no último dia do mês, um leilão de 13 prédios no centro de Lisboa. O valor base de licitação são 7,6 milhões de euros.

O leilão abrange "um lote de 13 prédios detidos pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC) em Lisboa, com um valor base de licitação agregado de 7,6 milhões de euros", foram construídos na primeira metade do século XX e localizam-se nas freguesias da Misericórdia, São Vicente e Santa Maria Maior.

Sobre os valores de licitação deste lote de 13 imóveis, o mais elevado é de 2,1 milhões de euros e o mais baixo é de 115 mil euros.

Dos 13 prédios, são três os edifícios que apresentam valores base de licitação superiores a um milhão de euros. "Dos restantes dez, apenas um está acima do patamar dos 500 mil euros", revelou a organização.

"O maior dos imóveis tem uma área bruta de 1.612 metros quadrados e o mais pequeno 99 metros quadrados, correspondendo, este último, a um terreno com escombros do edifício que ruiu", referiu a organização, acrescentando que "o retorno desta iniciativa será integralmente aplicado em investimentos de substituição de equipamentos médicos"

O leilão integra a Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa, a decorrer de 27 de março a 2 de abril no renovado cineteatro Capitólio. Na edição de 2016 da Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa, a DGTF promoveu uma hasta pública para alienação de 19 imóveis do Estado.

 O valor de licitação agregado foi de 20,2 milhões de euros, mas apenas quatro foram arrematados. Ainda assim o resultado foi um encaixe de mais de 23 milhões de euros, em parte devido á venda do antigo Hospital da Marinha, arrematado por quase 18 milhões de euros.