Internacional

Homem que fez mais de cem ameaças de bomba contra centros judaicos é judeu e vive em Israel

Polícia americana ajudou a encontrar o jovem de 19 anos em Israel, que utilizou software avançado para mascarar a sua identidade.

As autoridades israelitas detiveram esta quinta-feira um jovem judeu que parece ter realizado dezenas de chamadas anónimas com ameaças de bomba a centros judaicos americanos, australianos e neo-zelandeses. Os investigadores afirmam que, para já, não têm uma teoria sobre o que levou o jovem judeu – dupla nacionalidade israelita e americana – a realizar as ameaças.

A investigação americana dura há pelo menos três meses. Ao longo desse período, o jovem – não foi ainda revelada a sua identidade – fez mais de cem ameaças de bomba contra centros comunitários judaicos em mais de uma dezena de estados americanos, reforçando os receios em torno da onda de agressões e vandalismo antissemita depois da eleição de Donald Trump.

“Acreditamos que ele é o responsável pela onda de telefonemas e ameaças de bomba realizados contra os centros comunitários judaicos nos Estados Unidos”, disse esta quinta-feira o porta-voz da polícia israelita, informando que o jovem de 19 anos também atingiu a Austrália e Nova Zelândia, utilizando software avançado para mascarar a sua identidade e origem.