CGD

Moody’s mantém rating

A Moody's mantém o 'rating' da Caixa Geral de Depósitos (CGD) inalterado em "B1", com 'outlook' (perspetiva) "estável". 

Moody’s mantém rating

A notação financeira da agência de rating surge na sequência dos resultados de 2016 da CGD recentemente anunciados e das metas do plano de reestruturação.

O 'rating' de "B1" é relativo à dívida de longo prazo e aos depósitos do banco público, vincou em comunicado a Moody's Investors Service.

Quanto ao processo de recapitalização em curso, a Moody's entende que o mesmo é "crítico" para a estabilização da capacidade de absorção de perdas da CGD e para a execução da transformação estrutural até 2020. Este processo tem como objetivo o regresso à rentabilidade do banco público.

No âmbito desta recapitalização, a CGD emitiu 500 milhões de euros de dívida perpétua junto de investidores institucionais, a uma taxa de juro de 10,75%.

Depois de ter apresentado um prejuízo histórico de 1859 milhões de euros em 2016, a CGD está em processo de recapitalização – aprovado num acordo entre o Governo e a Comissão Europeia, num montante de quase 5000 milhões de euros.

Em janeiro foram transferidas ações da ParCaixa para a CGD no valor de 500 milhões de euros e instrumentos de capital contingentes (CoCos) subscritos pelo Estado no valor de 945 milhões de euros. A próxima fase do processo é o aumento de capital – injectado pelo Estado - em 2500 milhões de euros e depois uma emissão de dívida de 930 milhões de euros "elegível para efeitos de cumprimento dos rácios de capital regulatório". 

Os comentários estão desactivados.