Sociedade

Rodoviária de Lisboa. Passes combinados com o Metro e Carris deixaram de ser vendidos

Medida vai afetar cerca de 400 mil habitantes da área metropolitana de Lisboa

Os passes combinados do Metropolitano de Lisboa, Carris e Rodoviária de Lisboa – que opera nos concelhos de Lisboa, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira – deixaram de ser vendidos este domingo.

Segundo as notas publicadas nos sites da Carris e do Metro, houve três passes combinados que deixaram de ser vendidos devido à “denúncia unilateral da Rodoviária de Lisboa”. Em causa estão os passes Carris/ML/RL1, que custava 45,45 euros, o Carris/ML/RL2 que ficava em 55,65 euros e o Carris/ML/RL3, vendido por 63,55 euros.

Já a Rodoviária de Lisboa diz na sua página oficial que os passes combinados terminaram uma vez que é “consensual que o sistema tarifário é complexo e difícil para os cliente”. “Tem sido efetuado um caminho progressivo na simplificação do tarifário da Área Metropolitana de Lisboa. Neste contexto, a RL decidiu terminar o Combinado Carris/ML/RL, tendo tido a preocupação prévia de se assegurar de que existem alternativas práticas para os seus clientes”, garante a empresa.

Agora, os utentes que precisem de utilizar esta combinação de transportes para as suas deslocações terão de pagar mais para fazer os mesmos percursos, já que terão de comprar um passe intermodal. Por exemplo, o antigo passe  Carris/ML/RL3, que custava 63,55 euros, agora terá de ser substituído pelo passe intermodal L123 que fica em 68,70€.

Também os utentes que apenas precisem de fazer deslocações pontuais ficam a perder com esta decisão. "Isto quer dizer que todas as pessoas [utentes da RL] que queiram usar [um título de transporte] num determinado percurso da AML para vir a Lisboa e depois andar no Metro e na Carris com o mesmo título, vão ter de passar a comprar o passe Intermodal”, afirmou Demétrio Alves, primeiro secretário da Comissão Executiva, numa reunião do Conselho Metropolitano que teve lugar a 18 de janeiro. “Só que o passe Intermodal é mais caro do que o combinado que existia e, portanto, isto vai ter repercussão intensa nos utentes da rede de transportes”, alertou o representante citado pela Lusa.

Sem o antigo passe combinado com o Navegante – que permite a mobilidade em toda a cidade de Lisboa integrando os operadores Metro, Carris e CP – resta aos utentes que precisem de usar a Rodoviária de Lisboa (RL), o metro e a Carris a compra dos passes intermodais L1, L12 ou L123. Para quem não precisar de usar todos os transportes mantém-se, no entanto, a venda dos passes combinados metro/RL e Carris/RL.

Segundo a informação disponibilizada pela Rodoviária de Lisboa na internet, a empresa transporta cerca de 200 mil passageiros por dia.